Estabelecimentos Escolares do AEF  

   

Oferta Formativa  

   

Comunicação  

   

Documentos Estruturantes  

   

Serviços  

   
8.png7.png3.png2.png5.png9.png
Today184
Yesterday349
This week533
This month6308
Total873259


   
  • Nota Introdutória
  • Empreendedorismo
  • Eco-Escolas
  • Ser Solidário
  • Voluntariado
  • Promoção e educação para a saúde
  • Volta à França em 4 anos
  • Erasmus +
  • Histórias? É connosco!
  • Parlamento dos Jovens e Euroscola sec
  • Ciência na Escola
  • Programação no 1º Ciclo
  • À descoberta das 4 cidades
  • Grupo de Cantares do AEF
  • GAES
  • ESPAÇO D
  • A Música faz bem!
  • Histórias Suculentas…
  • Engenheiras por um dia
  • EnvelhoSer LivroMente

  

Os projetos e clubes dão um importante contributo para se atingirem os objetivos consagrados no projeto educativo. Anualmente, a oferta e a participação são reveladoras do dinamismo do Agrupamento, do envolvimento da comunidade educativa, do empenho e dedicação de professores e alunos e demais colaboradores. A diversidade de projetos e clubes denota a preocupação para o desenvolvimento, nos alunos do AEF (centro de toda a atividade educativa), de competências básicas exigidas pela sociedade atual e consequentemente para a promoção do sucesso educativo e a manutenção de níveis residuais do abandono escolar. A cultura de mudança subjacente a esta preocupação conta com o contributo das reflexões/avaliações permanentes a diversos níveis, não só do conselho de projetos e clubes, mas também, a um nível mais abrangente, da direção, do conselho pedagógico, dos departamentos, dos conselhos de coordenadores dos DT e da equipa de autoavaliação, permitindo incorporar as mudanças necessárias e a consequente adaptação contínua, assegurando algumas continuidades, reformulando ou implementando novos projetos/clubes. É bem evidente a preocupação na diversificação e oferta de experiências de aprendizagem em espaço formal e não formal, as quais valorizam o percurso formativo não só dos alunos mas de outros agentes educativos, nutrindo potencialidades de desenvolvimento individual (+ Pessoa), que conduzem à valorização coletiva e ao reconhecimento externo (+ Escola; + Fundão). Os projetos e clubes privilegiam o sentido de pertença a uma comunidade, reconhecendo as alterações de ordem social, educativa (escola inclusiva) e económica, desenvolvendo ações abrangentes (vertentes ética, cultural, social, científica, artística, desportiva e tecnológica) destinadas ao público interno e externo e valorizando o envolvimento da comunidade educativa, potenciando, assim, práticas inovadoras e contributos diversificados com resultados que abrangem a organização como um todo. Promovem a articulação de órgãos e serviços, internamente e com o exterior, uma vez que só desta forma é possível o envolvimento de diferentes estruturas, alunos de diferentes turmas e níveis de ensino, EE/pais, docentes de várias áreas, entidades externas e pessoal não docente, em torno de objetivos/ações comuns. Reforçam uma atitude de maior abertura ao exterior pelas inúmeras parcerias estabelecidas e pela organização e participação em eventos de divulgação dos projetos e clubes/atividades desenvolvidas. Evidenciam uma preocupação em incrementar a eficiência, motivando alunos e colaboradores, partilhando recursos, reduzindo custos, utilizando as tecnologias de informação (alguns projetos candidatam-se a financiamento externo, outros articulam ações preocupando-se em estabelecer redes de trabalho internas e com o exterior, solicitam apoios a empresas ou a outras entidades.

 

Empreendedorismo

Docente responsável: Armando Fino.

Pensar

Agir

Liderar

Resumo do projeto:  Ser empreendedor é sobretudo uma atitude. Educar para o empreendedorismo é preparar os jovens para aprender a agir e a pensar. Com este projeto, na escola desde 2006, pretende-se contribuir para o desenvolvimento de competências empreendedoras nos alunos, desenvolvendo iniciativas/programas/projetos diversificados.

Objetivos gerais: Desenvolver competências empreendedoras; Adquirir conhecimentos e selecionar boas práticas a fim de generalizar na escola um ambiente ainda mais empreendedor; Fortalecer o estabelecimento de parcerias com empresas/ instituições; Promover o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos alunos e pelo Agrupamento.

 

 

ECO-Escolas 2017/2018 

Educação

Ambiental

Sustentabilidade

Eco-Escolas é um programa internacional da “Foundation for Environmental Education”, desenvolvido em Portugal desde 1996 pela ABAE. Pretende encorajar ações nas escolas, no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade. O programa é coordenado a nível internacional, nacional, regional e de escola. Para Receber a Bandeira Verde (Galardão) a escola tem de demonstrar ter seguido a metodologia dos 7 passos: Conselho Eco-Escolas, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Trabalho Curricular, Monitorização e Avaliação, Envolvimento da Comunidade, Eco-Código.

O plano de ação é desenhado por cada escola e deverá tomar em conta a Agenda de prioridades de ação/intervenção decidida pelo Conselho Eco-Escolas, incluindo atividades no âmbito dos temas-base e de pelo menos mais um tema do ano.

A escola foi premiada pela participação, no ano letivo 2017/ 2018, na 10ª edição da Geração Depositrão, por ter recolhido, na 2ª fase, 3570 kg.

Em paralelo as escolas são desafiadas a participar em diversos subprojectos que procuram (in)formar e aprofundar e premiar o trabalho no âmbito de temáticas específicas. É no confronto com os problemas concretos da sua comunidade e com a pluralidade das opiniões nela existentes que os alunos vão adquirindo a noção da responsabilidade perante o ambiente, a sociedade e a cultura em que se inserem, compreendendo gradualmente o seu papel de agentes dinâmicos nas transformações da realidade que os cerca.

Objetivos gerais: : Melhorar o desempenho ambiental da escola; Envolver os alunos nos processos de decisão e implementação das atividades relacionadas com o ambiente. Desenvolver uma consciência ecológica que privilegie a conservação da natureza e o reaproveitamento das suas matérias-primas.

Docente responsável: Ana Diva Gonçalves.

 

SER SOLIDÁRIO

Docente responsável: Ana Brioso.

 

Resumo do projeto:   Recolha de contributos da comunidade escolar (roupas, material escolar, alimentos, artigos de higiene …) para distribuição aos alunos mais carenciados do Agrupamento e na comunidade concelhia através das entregas à “Loja Social do Fundão”.

Objetivos gerais: Desenvolver competências no âmbito da educação para a solidariedade e voluntariado; Contribuir para a melhoria do bem-estar de alunos carenciados do Agrupamento de Escolas; Contribuir para a melhoria do bem-estar de famílias carenciadas no concelho, através da colaboração com a Loja Social do Fundão; Divulgar os produtos elaborados pelos clientes da APPACDM do Fundão e/ou partilhar recursos; Contribuir para a redução de resíduos.

 

 

SERVIÇO DE VOLUNTARIADO SEMANAL NO HOSPITAL DO FUNDÃO

Docente responsável: Fátima Corredoura.

 

Resume:O grupo de voluntariado conta com 20 alunos participantes e duas professoras, uma coordenadora, outra assessora (Maria da Conceição Godinho). O projeto consta da visita semanal, em regime de rotatividade, aos doentes internados no Centro Hospitalar Cova da Beira - Hospital do Fundão. O grupo semanal é constituído por quatro elementos: dois alunos voluntários e as duas professoras. A abordagem ao doente inicia-se com a oferta de exemplares do “Jornal do Fundão” cedidos por aquele semanário. A partir dessa primeira abordagem é desenvolvida a interação com cada doente, essencialmente no sentido de atenuar a realidade do internamento hospitalar. Sempre que se concretiza a edição do jornal escolar “Olho Vivo”, os alunos voluntários também distribuem exemplares no sentido de divulgar as atividades realizadas no Agrupamento e promover a articulação com o meio. O projeto possui outras áreas de intervenção, nomeadamente, a participação em atividades: de animação dos espaços hospitalares na época natalícia e de chegada da primavera, intituladas respetivamente, “Natal no Hospital” e “Sentir a Primavera”. Estas ações são implementadas em colaboração com o Voluntariado da Liga dos Amigos do Centro Hospitalar Cova da Beira e serão desenvolvidas pela turma APS 14; solidárias, nomeadamente em colaboração com o Banco alimentar da Cova da Beira.

Objetivos gerais: Favorecer o contacto intergeracional através do interesse e disponibilidade para interagir com os utentes. Valorizar boas práticas de cidadania.

 

 


 

Agrupamento de Escolas do Fundão distinguida com o “Selo de Escola Voluntária”

 

 

O Agrupamento de Escolas do Fundão foi distinguido, pelo Ministério da Educação e Ciência, pelo segundo ano consecutivo, com o “Selo de Escola Voluntária”, de atribuição anual, como reconhecimento pelo trabalho que tem sido desenvolvido no âmbito do voluntariado e da solidariedade, fortalecendo o envolvimento da comunidade educativa no projeto da escola e da escola na comunidade.

 

A cerimónia de entrega do prémio do “Selo de Escola Voluntária”, que decorreu no passado dia 30 de abril, no Palácio das Laranjeiras, em Lisboa, contou com a presença de várias individualidades, como o Presidente da Cáritas, Eugénio Fonseca e o Ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, que entregou pessoalmente o prémio ao diretor do Agrupamento, Armando Anacleto. O prémio consta de um galardão em acrílico com o “Selo de Escola Voluntária”, que será afixado à entrada da Escola sede deste Agrupamento Escolar.

 

      

 

 

 

 

 

PES - Programa de Educação para a Saúde

Docente responsável: Alda Fidalgo.

                                                                              

Resumo do projeto:         

O Agrupamento de Escolas do Fundão foi classificado com o nível III (avançado), no âmbito do galardão Selo Escola Saudável. Esta atribuição é o reconhecimento, por parte da DGE, do trabalho desenvolvido em prol da saúde e do bem-estar da comunidade educativa; das relações interpessoais saudáveis; da participação da comunidade educativa; dos resultados das aprendizagens e da imagem positiva da escola. Continuamos a trabalhar no sentido de termos uma escola cada vez mais saudável, em que a Educação para a Saúde se define como “uma combinação de experiências de aprendizagem que tenham por objetivo ajudar os indivíduos e as comunidades a melhorar a sua saúde, através do aumento dos conhecimentos ou influenciando as suas atitudes”(OMS).

Educar para a Saúde consiste em dotar as crianças e os jovens de conhecimentos, atitudes e valores que os ajudem a fazer opções e a tomar decisões adequadas à sua saúde, ou seja, ao seu bem-estar físico, social e mental. A ausência de informação incapacita ou dificulta a tomada de decisão.

Neste contexto pretende-se que sejam desenvolvidas atividades no âmbito da Alimentação Saudável e Atividade Física, Educação para o Consumo, Saúde Sexual e Reprodutiva, Sexualidades e Prevenção de IST, Prevenção do Consumo de Substâncias Psicoativas, Prevenção da Violência Escolar e do Bullying.

A concretização destas atividades irá ter o apoio de várias entidades parceiras: Centro de Saúde do Fundão; Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias; Curso Profissional Técnico de Auxiliar de Saúde do nosso Agrupamento.

O Gabinete de Apoio ao Aluno conta com elementos da equipa PES, para apoio aos alunos e a outros elementos da comunidade.

No âmbito do Clube de Saúde sempre que haja necessidade de atendimento, ao nível da enfermagem, contamos com o apoio técnico de uma enfermeira da UCC- Centro de Saúde.

Neste gabinete funciona também o apoio prestado pela Terapeuta da Fala do nosso agrupamento, aos alunos que dele necessitam.

 

Objetivos gerais: Contribuir para a promoção e educação para a saúde da população escolar; Desenvolver estilos de vida saudáveis; Prevenir comportamentos de risco; Contribuir para a promoção e educação para a saúde da população escolar; Desenvolver estilos de vida saudáveis; Prevenir comportamentos de risco; Envolver a Comunidade Educativa nas ações de Escola, no âmbito da saúde.

 

 

VOLTA À FRANÇA EM 4 ANOS

Docente responsável: Daniela Marntis.

 

Resumo do projeto:  Este projeto teve início no ano letivo 2013/2014 e visa enfocar os conteúdos básicos da língua francesa como caminho para promoção da aprendizagem da língua, motivando os alunos, e toda comunidade escolar, para a importância de aprender o francês. Encontram-se envolvidas 4 turmas de pequenos poliglotas muito entusiasmados para aprender a língua francesa. As crianças vão adquirindo conhecimentos linguísticos de forma lúdica, através de canções, pequenas encenações e jogos. Por outro lado, também desenvolvem competências culturais, através de momentos de conversas relacionadas com tradições e costumes franceses, reconhecendo afinidades e diferenças entre as culturas francesa e portuguesa. Ao longo das atividades, os pequenos discentes revelam sempre muito interesse e curiosidade, colocando constantes perguntas. Espera-se, assim, proporcionar a continuidade do ensino da língua francesa, juntamente com o inglês, ao longo dos 1º, 2º e 3º ciclos, formando jovens para a consciencialização de uma identidade integrada na globalização.

Objetivos gerais: Motivar para a aprendizagem da língua francesa; Criar no aluno o compromisso de adquirir competências novas que buscam a construção de um mundo mais cultural e, naturalmente, mais integrado e mais global.

 

ERASMUS +

Docente responsável: Luís Nunes 

 

Cooperação

                       Mobilidade

                                                  Ciência

                                                                                  Línguas

Inter-culturalidade

Resumo do projeto:         

Erasmus+ é o programa da UE para a educação, formação, juventude e desporto. Este projeto chama-se: GIFT: the magic of knowledge (DOM: a magia do conhecimento) e envolve parcerias e trabalho colaborativo entre escolas, sendo coordenado por uma escola da cidade de Craiova, Roménia e integrando como parceiros a Croácia, Itália, Chipre, Bulgária e Portugal (AEF).

 

Tem como objetivo a realização de projetos de investigação dentro das seguintes disciplinas: Matemática, Biologia, Física, Química e Inglês. Estes projetos terão um grau de dificuldade adequado ao nível etário dos alunos e ao seu desenvolvimento intelectual, procurando trabalhar os conteúdos de cada disciplina envolvida. É pressuposto o envolvimento de instituições do ensino superior.

 

 

Objetivos gerais: : Promover as boas práticas, a mobilidade, a interculturalidade e cooperação entre escolas.

 

 

 

 

 

HISTÓRIAS? É CONNOSCO!

Docente responsável: Margarida Ferreira.

 

Resumo do projeto:         

Atividade de promoção da leitura e de valorização da biblioteca escolar em todas as escolas do pré-escolar e do 1º ciclo. Atividades sobre a saúde oral (projeto SOBE).

Objetivos gerais: Desenvolver precocemente o gosto pela leitura, sobretudo nas freguesias distantes da sede, onde não existe acesso a bibliotecas e a atividades relacionadas com a literatura; Promover a imagem da escola no exterior.

 

Parlamento dos Jovens e Euroscola 

 

Ensino Secundário

 Decorreu em Castelo Branco, na LOJA PONTO JÁ do IPDJ, no dia 2 de março a sessão distrital do Parlamento dos Jovens 2015, ensino secundário. No mesmo dia e local decorreu a sessão distrital do concurso Euroscola 2015. A escola esteve representada pelos alunos João Pereira, Manuel Pizarro e José Fortunato na sessão do Parlamento dos Jovens, e pelas alunas Ana Luísa Correia e Inês Bonifácio na sessão do Euroscola. Os três primeiros alunos são do 11º CSE e as duas alunas são do 10º CSEAV. O tema em causa, nos dois casos, foi "Ensino público e privado: que desafios?". Os alunos foram acompanhados pelo professor António Amaral.

 As alunas Ana Luísa Correia e Inês Bonifácio foram escolhidas, após apresentação de um trabalho sujeito ao referido tema, para representar o distrito na sessão nacional em final de maio na Assembleia da República.

     

Read More

CIÊNCIA NA ESCOLA

Ideas                  Curiosidade                  Trabalho em equipa                  Soluções

 

A ciência ocupa um lugar central na missão da Fundação Ilídio Pinho. O Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola” promove o desenvolvimento de projetos e, paralelamente, desperta e motiva, numa fase precoce, o interesse dos jovens para a ciência, estimulando também os professores a assumir esse desafio e alertando as famílias para o seu papel único de ajuda e acompanhamento dos seus educandos. Aguarda-se o lançamento da 16ª Edição do Prémio.

 

Coordenadora: Mª João Batista.

 

PROGRAMAÇÃO NO 1º CICLO

Docente responsável: Helena Russo 

Resumo do projeto:         

Projeto destinado a implementar a programação através do “Scratch” e Blanc, com o intuito de desenvolver a capacidade de abstração, o raciocínio lógico, o pensamento crítico e a criatividade aos alunos do 1º ciclo. Atividade monitorizada por um técnico da Academia de código, com a duração de uma hora semanal durante o presente ano letivo, na componente de Oferta Complementar. Os professores titulares terão formação de programação (25 horas) com a intenção de futuramente implementar a programação no ensino. O proponente deste projeto é a Câmara Municipal do Fundão, a qual comparticipa a empresa Academia de Código para o desenvolvimento das atividades.

Objetivos gerais: Implementar no Agrupamento atividades no âmbito do pensamento computacional, através do Scratch como linguagem de programação.

 

À DESCOBERTA DAS 4 CIDADES

 

         Descoberta

                             Geminação

                                                 Água

                                                            Parcerias 

Veículo na promoção da igualdade de oportunidades, através das vivências e aprendizagens, dos alunos do 1º ciclo do ensino básico da cidade do Fundão, Marinha Grande, Montemor-o-Novo e Vila Real de Stº António.

É através da partilha de saberes, alicerçada num processo de DESCOBERTA, devidamente estruturado e acompanhado, que o Projeto “À Descoberta das 4 Cidades” se afirma como um ESPAÇO SINGULAR, no âmbito da geminação destas 4 cidades irmãs. ÀS VOLTAS COM A ÁGUA, à descoberta dos patrimónios da água das 4 cidades é, efetivamente, o ponto de partida para o desafio no triénio 2017/2020.

 

Objetivos gerais: Desenvolver nos alunos o gosto e a vontade de aprender, proporcionando-lhes novas fontes de saber, quer através de visitas a lugares com história e estórias, ou do contacto direto com outros agentes de saber/informantes, próximos da escola ou da família; estudar sistemas de captação de água e de rega, no passado e no presente, para o estimular da reflexão da comunidade educativa sobre as novas preocupações e necessidades relativas à água.

Coordenadora: Dília Costa 

Grupo de Cantares do AEF

Docente responsável: José Emílio.

 

Resumo do projeto:         

Grupo constituído maioritariamente por elementos do AEF (alunos e colaboradores) que têm em comum o gosto pela música e pela recuperação das tradições da região no que concerne ao património musical. O grupo divulga as suas recolhas e inéditos em festas do agrupamento bem como nas que são promovidas por entidades parceiras do AEF.

Objetivos gerais: Promover relações interpessoais entre os colaboradores; Promover a convivência e a partilha.  

Gabinete de Apoio Especializado à Surdez (GAES)

Docentes responsáveis: 

Natália Lobo Marques 

 

Resumo do projeto:   O Gabinete de Apoio Especializado à Surdez (GAES) surge como resposta às necessidades dos alunos com deficiência auditiva, com o objetivo de promover a sua autonomia e inclusão na escola e na sociedade. O Gabinete trabalha ainda, de forma direta, com os educadores, professores, pais e outros profissionais deste agrupamento, no sentido de dar encaminhamento aos alunos com deficiência auditiva na resolução das suas dificuldades. O GAES situa-se na sala “Espaço D”, na Escola Básica João Franco, e tem o seguinte horário de funcionamento: terça-feira das 15:35h às 16:20h.

Objetivos gerais: Apoiar os alunos, com deficiência auditiva, bem como as respetivas famílias e professores; Realizar campanhas de sensibilização e construir materiais específicos. .

 

ESPAÇO  D

Docente responsável:  Maria Fernanda Oliveira

 

Resumo do projeto:         

O Espaço D intervém junto de alunos com dificuldades de aprendizagem que tenham na sua base a diminuição/alteração de competências relacionadas com as áreas de intervenção da Terapia da Fala. Desta forma os alunos, depois de devidamente avaliados, são acompanhados de forma personalizada e individualizada (de acordo com as prioridades e a disponibilidade de horário). Este projeto colabora de forma direta com a equipa de educação especial, com a Unidade de Apoio à Multideficiência, com a equipa de referenciação da educação especial, com o SPO e com o Gabinete de Apoio Especializado à Surdez. Trabalha, também, em articulação com professores e famílias.

Objetivos gerais: Reeducar as dificuldades específicas de aprendizagem ao nível da leitura e escrita (Dislexia; Disgrafia; Dislalia; Disortografia e Discalculia).

A Música faz bem!

Docente responsável: Maria José Peixoto 

 

Resumo do projeto: 

A “música” pode ser definida como a arte ou a ciência de combinar sons harmoniosamente. FARIA (2001), descreve a música como “um importante fator na aprendizagem...”. A escola, enquanto espaço institucional para a transmissão de conhecimentos, deve promover a aproximação das crianças à música. Esta aproximação será feita pela aprendizagem da música em si mesma e por outro lado, através da audição da música, em ambiente de sala de aula.

Objetivos gerais: Proporcionar às crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico o Ensino da música e o desempenho de um instrumento musical (flauta)

 

   

Histórias Suculentas…

Docente responsável: Teresa Félix

 

Resumo do projeto:   Diariamente somos confrontados com a necessidade de inverter a degradação ambiental, tarefa da responsabilidade de cada um. Animais e plantas fazem parte do dia-a-dia das crianças através do contacto mais ou menos direto, em casa e no jardim de infância. Muitas vezes são personagens de livros, de desenhos animados e ainda de bonecos com que brincam. Seres vivos com cores e formas diversificadas, que sofrem mudanças com as condições ambientais, são um fascínio para as crianças, despertando-lhes naturalmente o interesse para a exploração de aspetos relacionados com o que as rodeia. A partir de histórias encontrar-se-ão pontos de partida para a exploração de conteúdos científicos relacionados com: o ar; a água; forças e movimento; luz e energia; objetos e materiais; seres vivos.

Objetivos gerais: Recriar histórias, construindo ambientes vivos em jardins em miniatura, que permitirão aos alunos prever, experimentar, observar e comparar o processo do crescimento e reprodução das plantas.

 

 

 

Engenheiras por um dia

 

Igualdade de género

 Dessegregação das escolhas profissionais

 Apesar da evolução positiva das áreas profissionais associadas às engenharias e às tecnologias, quanto a remunerações e rendimentos, possibilidades de carreira e potencialidades de inovação e de progresso para a economia, constata-se uma evolução negativa preocupante da taxa de feminização dos cursos de engenharia e tecnologias.

O projeto visa prevenir o futuro agravamento das discrepâncias entre os sexos quanto a rendimentos, possibilidades de carreira e oportunidades de ascensão a cargos de tomada de decisão, em áreas centrais da economia. 

 

Objetivos gerais: Levar as raparigas a fazer uma escolha mais livre das áreas de estudo, bem como sensibilizar as escolas e os agentes educativos para a problemática da segregação ocupacional e da escassez de mulheres nos domínios das Tecnologias e Engenharias; Promover a igualdade de género; Contribuir para uma cidadania ativa e livre.

 

 Coordenadora: 

Cristina Guedes

Teresa Correia

Ana Raposo

 

EnvelhoSer LivroMente

 

Diálogo de Gerações

 

Tendo como tema a terceira idade, o projeto desenvolve-se em duas etapas (Ação 1 e Ação 2): a primeira direcionada para os alunos dos curso profissionais e do 12º ano de Artes Visuais e a segunda, dos alunos para a comunidade, através da implementação de atividades em lares, na biblioteca e noutros recintos escolares.

Estão previstas atividades de leitura literária, científica, dos media, digital e gráfica, interligadas com a temática definida. Estas leituras, sendo direcionadas para um assunto do interesse destes cursos, servem como motivação para que os alunos adiram à prática da leitura, bem como o suporte digital a utilizar (tablets). Deverão apresentar as obras lidas nos meios de comunicação social previstos e em atividades decorrentes da leitura nos lares.

 

Objetivos gerais: Criar hábitos de leitura nos alunos. Formar os alunos para a cidadania, consciencializando-os para a necessidade de contribuir de modo a haver um envelhecimento ativo e saudável, através da implementação de ações relacionadas com a leitura em instituições da região.  

 

 Coordenadora: 

Margarida Ferreira

Célia Gil

 

   

LISTA DE MANUAIS ADOTADOS 2018/2019 

1º ciclo    

2º ciclo    

3º ciclo    

SEC    

 1ºano

 5ºano

 7ºano

 10ºano

 2ºano

 6ºano

 8ºano

 11ºano

 3ºano

 

 9ºano

 12ºano

 4ºano

 

 

 

   
   

Biblioteca Escolar  

Sessão envelhecimento ativo - Valverde

Ontem, pelas 10h05, a turma TAS 18 (Técnico Auxiliar de Saúde), com as suas professoras de Saúde, no âmbito do projeto “EnvelhoSer LivroMente”, mais informação...

 

Sugestão da Biblioteca de leitura (do PNL):

mais informação...

 

   

Em Destaque  

Rúbrica nova Dias de Escola -  9 de novembro

 

 
   

Síntese Curricular 2018/19