• Nota Introdutória
  • Empreendedorismo
  • Eco-Escolas
  • Ser Solidário
  • Voluntariado
  • Promoção e educação para a saúde
  • Volta à França em 4 anos
  • Histórias? É connosco!
  • Parlamento dos Jovens e Euroscola sec
  • Ciência na Escola
  • Programação no 1º Ciclo
  • À descoberta das 4 cidades
  • Grupo de Cantares do AEF
  • GAES
  • ESPAÇO D
  • A Música faz bem!
  • Histórias Suculentas…
  • Engenheiras por um dia

  

Os projetos e clubes dão um importante contributo para se atingirem os objetivos consagrados no projeto educativo. Anualmente, a oferta e a participação são reveladoras do dinamismo do Agrupamento, do envolvimento da comunidade educativa, do empenho e dedicação de professores e alunos e demais colaboradores. A diversidade de projetos e clubes denota a preocupação para o desenvolvimento, nos alunos do AEF (centro de toda a atividade educativa), de competências básicas exigidas pela sociedade atual e consequentemente para a promoção do sucesso educativo e a manutenção de níveis residuais do abandono escolar. A cultura de mudança subjacente a esta preocupação conta com o contributo das reflexões/avaliações permanentes a diversos níveis, não só do conselho de projetos e clubes, mas também, a um nível mais abrangente, da direção, do conselho pedagógico, dos departamentos, dos conselhos de coordenadores dos DT e da equipa de autoavaliação, permitindo incorporar as mudanças necessárias e a consequente adaptação contínua, assegurando algumas continuidades, reformulando ou implementando novos projetos/clubes. É bem evidente a preocupação na diversificação e oferta de experiências de aprendizagem em espaço formal e não formal, as quais valorizam o percurso formativo não só dos alunos mas de outros agentes educativos, nutrindo potencialidades de desenvolvimento individual (+ Pessoa), que conduzem à valorização coletiva e ao reconhecimento externo (+ Escola; + Fundão). Os projetos e clubes privilegiam o sentido de pertença a uma comunidade, reconhecendo as alterações de ordem social, educativa (escola inclusiva) e económica, desenvolvendo ações abrangentes (vertentes ética, cultural, social, científica, artística, desportiva e tecnológica) destinadas ao público interno e externo e valorizando o envolvimento da comunidade educativa, potenciando, assim, práticas inovadoras e contributos diversificados com resultados que abrangem a organização como um todo. Promovem a articulação de órgãos e serviços, internamente e com o exterior, uma vez que só desta forma é possível o envolvimento de diferentes estruturas, alunos de diferentes turmas e níveis de ensino, EE/pais, docentes de várias áreas, entidades externas e pessoal não docente, em torno de objetivos/ações comuns. Reforçam uma atitude de maior abertura ao exterior pelas inúmeras parcerias estabelecidas e pela organização e participação em eventos de divulgação dos projetos e clubes/atividades desenvolvidas. Evidenciam uma preocupação em incrementar a eficiência, motivando alunos e colaboradores, partilhando recursos, reduzindo custos, utilizando as tecnologias de informação (alguns projetos candidatam-se a financiamento externo, outros articulam ações preocupando-se em estabelecer redes de trabalho internas e com o exterior, solicitam apoios a empresas ou a outras entidades.

 

Empreendedorismo

Docente responsável: Alda Fidalgo.

Resumo do projeto:   Ser empreendedor é sobretudo uma atitude. Educar para o empreendedorismo é preparar os jovens para aprender a agir e a pensar. Com este projeto, na escola desde 2006, pretendemos contribuir para o desenvolvimento de competências empreendedoras nos alunos, desenvolvendo iniciativas/programas/projetos diversificados.

Objetivos gerais: Desenvolver competências empreendedoras; Adquirir conhecimentos e selecionar boas práticas a fim de generalizar na escola um ambiente ainda mais empreendedor; Fortalecer o estabelecimento de parcerias com empresas/ instituições; Promover o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos alunos e pelo Agrupamento.

 

TUTORIAL- VÍDEO GRAVADO NA NOSSA ESCOLA (2011) pelo ISCTE-IUL /DGIDC

PRÉMIO INOVA ESCOLA 2015 – MENÇÃO HONROSA

PRÉMIO INOVA ESCOLA 2014 - 1º PRÉMIO NACIONAL

 

ECO-Escolas 2017/2018 

Eco-Escolas é um programa internacional da “Foundation for Environmental Education”, desenvolvido em Portugal desde 1996 pela ABAE. Pretende encorajar ações nas escolas, no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade. O programa é coordenado a nível internacional, nacional, regional e de escola. Para Receber a Bandeira Verde (Galardão) a escola tem de demonstrar ter seguido a metodologia dos 7 passos: Conselho Eco-Escolas, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Trabalho Curricular, Monitorização e Avaliação, Envolvimento da Comunidade, Eco-Código.

O plano de ação é desenhado por cada escola e deverá tomar em conta a Agenda de prioridades de ação/intervenção decidida pelo Conselho 

Eco-Escolas, incluindo atividades no âmbito dos temas-base e de pelo menos mais um tema do ano. 

Em paralelo as escolas são desafiadas a participar em diversos subprojectos que procuram (in)formar e aprofundar e premiar o trabalho no âmbito de temáticas específicas. É no confronto com os problemas concretos da sua comunidade e com a pluralidade das opiniões nela existentes que os alunos vão adquirindo a noção da responsabilidade perante o ambiente, a sociedade e a cultura em que se inserem, compreendendo gradualmente o seu papel de agentes dinâmicos nas transformações da realidade que os cerca.

Objetivos gerais: Melhorar o desempenho ambiental da escola; Envolver os alunos nos processos de decisão e implementação das atividades relacionadas com o ambiente. Desenvolver uma consciência ecológica que privilegie a conservação da natureza e o reaproveitamento das suas matérias-primas

Docente responsável: Daniela Ferreira.

2015/2016

 

NÓS RECICLAMOS!

 

 

"Castelo Branco: Escolas do distrito recolheram 10 300 quilos de resíduos para reciclagem Entre as 12 Eco-Escolas de Castelo Branco que participaram na iniciativa de sensibilização ambiental Geração Depositrão da ERP Portugal foram recolhidos 10 300 quilos de REEE (Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos) e RP&A (Resíduos de Pilhas e Acumuladores) e devidamente encaminhados para reciclagem. Esta ação recolheu no passado ano letivo em todo o país, mais de 330 mil quilos, uma recolha que contou com a adesão de cerca de 600 Eco-Escolas. Com base nos resultados finais deste desafio, foi apurado o top 5 do ranking do distrito relativo ao peso total de resíduos recolhidos, sendo a Escola Secundária com 3.º Ciclo do Fundão a líder, com 5304 quilos recolhidos, seguida das escolas EB23 Serra da Gardunha e EB1/JI do Refúgio, com cerca de 1000 quilos, EB23 Padre António Lourenço Farinha e Escola Profissional Agrícola Quinta da Lageosa, com aproximadamente 800 quilos de resíduos recolhidos neste desafio. Filipa Moita, Responsável de Comunicação e Sensibilização da ERP Portugal, conclui que “os resultados desta edição foram excelentes! As escolas mostraram novamente que são peças fundamentais na formação dos cidadãos, incutindo hábitos e comportamentos corretos, nomeadamente no que toca à gestão de resíduos, pois o seu encaminhamento adequado é fulcral para assegurar o seu tratamento e reciclagem. Após sete edições desta campanha, conseguimos avaliar o crescimento sustentado do volume de resíduos recolhidos e, acima de tudo, da consciência dos cidadãos sobre esta causa. As escolas são pontos de recolha reconhecidos pela população local das regiões em que se inserem. Parabéns a todas as escolas Geração Depositrão pelo magnífico trabalho desenvolvido!”

  

 

 Eco-Código 2014/2015

 

 Está disponível o Jornal OLHO VIVO com uma notícia do nosso projeto Olho Vivo maio 2015

 

Está disponível o Jornal OLHO VIVO com uma notícia do nosso projeto Olho Vivo fevereiro 2015

 

A Associação Bandeira Azul da Europa – ABAE distinguiu mais uma vez a nossa Escola com a atribuição da Bandeira Verde, declarando-a novamente como uma Eco-Escola!

Para além de um reconhecimento e uma distinção do trabalho efetuado no ano letivo 2013/2014, esta bandeira representa um compromisso e uma responsabilidade da comunidade educativa para fazer mais e melhor ao nível do desenvolvimento sustentável e da conservação do ambiente. Na quinta-feira, dia 5 de março vamos hastear a Bandeira Verde às 14h.30m. C

Contamos com a vossa presença! Um bem haja a todos por toda a colaboração neste projeto

 

 

 

 

  ECO-CÓDIGO

 

 

 

 

 

Criar uma árvore de frutos

O concurso “Sim, criar uma árvore dá frutos” teve como objetivo relembrar a importância de cuidar das nossas florestas, criando um trabalho com embalagens ecológicas Compal/Tetra Pak.

Este desafio da Compal e da Tetra Pak, em parceria com a Associação Bandeira Azul da Europa, foi lançado a mais de 1500 estabelecimentos de ensino da rede Eco-Escolas.

 

 

A nossa Escola, através do Eco-Escolas e da Operação Alegria, aceitou o desafio e criou uma árvore muito original, e os respetivos frutos construídos com embalagens familiares Compal da Tetra Pak, que exibiam a certificação do Forest Stewardship Council (FSC). Mais informação

 

“Green School” – Comemoração do 1º dia internacional das Eco- Escolas

No dia 7 de novembro alunos das turmas do 8ºE, 9ºE e 11º PTAL participaram na atividade “GreenSchool” que tinha como objetivo comemorar o 1º dia internacional das Eco-escolas. Munidos de luvas e sacos plásticos, alunos e professores limparam o recinto escolar e posteriormente fizémos a separação seletiva dos resíduos que encontrámos.

 

 

                    

 

mais informação

 

 PELOURINHO DO FUNDÃO – ESCULTURA ECOLÓGICA

 

As turmas do 7º C, 7ºD, 7ºE, da disciplina Educação Visual do Agrupamento de Escolas do Fundão, em 2014 com Upcycling: constrói um monumento da tua terra. mais informação

            

Mais informação sobre o Pelourinho do Fundão.         

 

 

 

 

SER SOLIDÁRIO

Docente responsável: Ana Brioso.

 

Resumo do projeto:   Recolha de contributos da comunidade escolar (roupas, material escolar, alimentos, artigos de higiene …) para distribuição aos alunos mais carenciados do Agrupamento e na comunidade concelhia através das entregas à “Loja Social do Fundão”.

Objetivos gerais: Desenvolver competências no âmbito da educação para a solidariedade e voluntariado; Contribuir para a melhoria do bem-estar de alunos carenciados do Agrupamento de Escolas; Contribuir para a melhoria do bem-estar de famílias carenciadas no concelho, através da colaboração com a Loja Social do Fundão; Divulgar os produtos elaborados pelos clientes da APPACDM do Fundão e/ou partilhar recursos; Contribuir para a redução de resíduos.

 

 

SERVIÇO DE VOLUNTARIADO SEMANAL NO HOSPITAL DO FUNDÃO

Docente responsável: Fátima Corredoura.

 

Resume:O grupo de voluntariado conta com 20 alunos participantes e duas professoras, uma coordenadora, outra assessora (Maria da Conceição Godinho). O projeto consta da visita semanal, em regime de rotatividade, aos doentes internados no Centro Hospitalar Cova da Beira - Hospital do Fundão. O grupo semanal é constituído por quatro elementos: dois alunos voluntários e as duas professoras. A abordagem ao doente inicia-se com a oferta de exemplares do “Jornal do Fundão” cedidos por aquele semanário. A partir dessa primeira abordagem é desenvolvida a interação com cada doente, essencialmente no sentido de atenuar a realidade do internamento hospitalar. Sempre que se concretiza a edição do jornal escolar “Olho Vivo”, os alunos voluntários também distribuem exemplares no sentido de divulgar as atividades realizadas no Agrupamento e promover a articulação com o meio. O projeto possui outras áreas de intervenção, nomeadamente, a participação em atividades: de animação dos espaços hospitalares na época natalícia e de chegada da primavera, intituladas respetivamente, “Natal no Hospital” e “Sentir a Primavera”. Estas ações são implementadas em colaboração com o Voluntariado da Liga dos Amigos do Centro Hospitalar Cova da Beira e serão desenvolvidas pela turma APS 14; solidárias, nomeadamente em colaboração com o Banco alimentar da Cova da Beira.

Objetivos gerais: Favorecer o contacto intergeracional através do interesse e disponibilidade para interagir com os utentes. Valorizar boas práticas de cidadania.

 

 


 

Agrupamento de Escolas do Fundão distinguida com o “Selo de Escola Voluntária”

 

 

O Agrupamento de Escolas do Fundão foi distinguido, pelo Ministério da Educação e Ciência, pelo segundo ano consecutivo, com o “Selo de Escola Voluntária”, de atribuição anual, como reconhecimento pelo trabalho que tem sido desenvolvido no âmbito do voluntariado e da solidariedade, fortalecendo o envolvimento da comunidade educativa no projeto da escola e da escola na comunidade.

 

A cerimónia de entrega do prémio do “Selo de Escola Voluntária”, que decorreu no passado dia 30 de abril, no Palácio das Laranjeiras, em Lisboa, contou com a presença de várias individualidades, como o Presidente da Cáritas, Eugénio Fonseca e o Ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, que entregou pessoalmente o prémio ao diretor do Agrupamento, Armando Anacleto. O prémio consta de um galardão em acrílico com o “Selo de Escola Voluntária”, que será afixado à entrada da Escola sede deste Agrupamento Escolar.

 

      

 

 

 

 

 

PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE E GABINETE DE SAÚDE

Docente responsável: Alda Fidalgo.

 

Resumo do projeto:         

Em contexto escolar, Educar para a Saúde consiste em dotar as crianças e os jovens de conhecimentos, atitudes e valores que os ajudem a fazer opções e a tomar decisões adequadas à sua saúde, ou seja, ao seu bem-estar físico, social e mental. A ausência de informação incapacita ou dificulta a tomada de decisão. Neste contexto pretende-se que sejam desenvolvidas atividades no âmbito da Alimentação Saudável e Atividade Física, Educação para o Consumo, Saúde Sexual e Reprodutiva, Sexualidades e Prevenção de IST’s, Prevenção do Consumo de Substâncias Psicoativas, Prevenção da Violência Escolar e do Bullying. A concretização destas atividades irá ter o apoio de várias entidades parceiras: Centro de Saúde do Fundão; Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias; Curso Profissional Técnico de Auxiliar de Saúde do nosso Agrupamento. O Gabinete de Apoio ao Aluno conta com elementos da equipa PES.

Objetivos gerais: Contribuir para a promoção e educação para a saúde da população escolar; Desenvolver estilos de vida saudáveis; Prevenir comportamentos de risco; Envolver a Comunidade Educativa nas ações de Escola, no âmbito da saúde.

 

 

1 de dezembro - Dia Mundial da Luta contra a SIDA

 

Agrupamento de Escolas do Fundão - 1/12/2015

 

Não te esqueças que o uso de preservativo é o único meio para prevenir a infeção com HIV

 

VOLTA À FRANÇA EM 4 ANOS

Docente responsável: Daniela Marntis.

 

Resumo do projeto:  Este projeto teve início no ano letivo 2013/2014 e visa enfocar os conteúdos básicos da língua francesa como caminho para promoção da aprendizagem da língua, motivando os alunos, e toda comunidade escolar, para a importância de aprender o francês. Encontram-se envolvidas 4 turmas de pequenos poliglotas muito entusiasmados para aprender a língua francesa. As crianças vão adquirindo conhecimentos linguísticos de forma lúdica, através de canções, pequenas encenações e jogos. Por outro lado, também desenvolvem competências culturais, através de momentos de conversas relacionadas com tradições e costumes franceses, reconhecendo afinidades e diferenças entre as culturas francesa e portuguesa. Ao longo das atividades, os pequenos discentes revelam sempre muito interesse e curiosidade, colocando constantes perguntas. Espera-se, assim, proporcionar a continuidade do ensino da língua francesa, juntamente com o inglês, ao longo dos 1º, 2º e 3º ciclos, formando jovens para a consciencialização de uma identidade integrada na globalização.

Objetivos gerais: Motivar para a aprendizagem da língua francesa; Criar no aluno o compromisso de adquirir competências novas que buscam a construção de um mundo mais cultural e, naturalmente, mais integrado e mais global.

 

HISTÓRIAS? É CONNOSCO!

Docente responsável: Margarida Ferreira.

 

Resumo do projeto:         

Atividade de promoção da leitura e de valorização da biblioteca escolar em todas as escolas do pré-escolar e do 1º ciclo. Atividades sobre a saúde oral (projeto SOBE).

Objetivos gerais: Desenvolver precocemente o gosto pela leitura, sobretudo nas freguesias distantes da sede, onde não existe acesso a bibliotecas e a atividades relacionadas com a literatura; Promover a imagem da escola no exterior.

 

Parlamento dos Jovens e Euroscola 

 

Ensino Secundário

 Decorreu em Castelo Branco, na LOJA PONTO JÁ do IPDJ, no dia 2 de março a sessão distrital do Parlamento dos Jovens 2015, ensino secundário. No mesmo dia e local decorreu a sessão distrital do concurso Euroscola 2015. A escola esteve representada pelos alunos João Pereira, Manuel Pizarro e José Fortunato na sessão do Parlamento dos Jovens, e pelas alunas Ana Luísa Correia e Inês Bonifácio na sessão do Euroscola. Os três primeiros alunos são do 11º CSE e as duas alunas são do 10º CSEAV. O tema em causa, nos dois casos, foi "Ensino público e privado: que desafios?". Os alunos foram acompanhados pelo professor António Amaral.

 As alunas Ana Luísa Correia e Inês Bonifácio foram escolhidas, após apresentação de um trabalho sujeito ao referido tema, para representar o distrito na sessão nacional em final de maio na Assembleia da República.

     

Read More

CIÊNCIA NA ESCOLA

Resumo dos Projetos

A Ciência de um brinquedo (4º Escalão)

A brincadeira e o ensino são duas áreas que fazem parte do dia-a-dia de um aluno. Ao juntar ambas podemos obter resultados surpreendentes. É nesse sentido que pretendemos construir o jogo “DA GLORIA- ERA MODERNA”. O jogo que se pretende desenvolver é didático e interativo, destinado aos alunos do 3º ciclo e com a finalidade de consolidar e explorar os conhecimentos de matemática, mais propriamente na área da geometria recorrendo à robótica. Os principais objetivos deste jogo é promover, nos alunos, o raciocínio lógico-matemático, desenvolver a curiosidade / espírito científico bem como a capacidade de resolução de problemas. Esta dualidade matemática/robótica foi selecionada tendo sempre presente o quotidiano de cada um no que respeita aos pequenos conceitos e aplicações da matemática e da robótica.

 

Objetivos gerais: Promover, nos alunos, o raciocínio lógico-matemático; Melhorar o sucesso.

Coordenadora: Ana Madalena/ Joaquim Guedes.

 

Borreguinhos da Beira Baixa(3º Escalão)

Atualmente, considera-se que a alimentação é o principal fator que contribui para um estilo de vida saudável, podendo reduzir os riscos de doenças e promover a saúde. As caraterísticas/qualidade do Queijo da Beira Baixa estão dependentes da matéria-prima (aspetos microbiológicos e características físico-químicas do leite), a qual é condicionada por fatores relativos à produção animal, e da tecnologia de fabrico. Esta envolve diversas fases interdependentes: obtenção e preparação da matéria prima; coagulação; corte/ dessoramento; moldagem/ prensagem; salga; maturação. 

 

Objetivos gerais: Avaliar a influencia da variação da composição do leite, pela alteração natural das pastagens, e do tipo de coalho usado na fase de coagulação, no rendimento, valor nutricional e atributos sensoriais (sabor, textura, aroma e aparência) do queijo; criar um formato unidose do queijo da Beira Baixa- “Borreguinhos”, com menor teor de gordura e incorporando um prebiótico (inulina) na tecnologia de fabrico.

 

Coordenadora: Maria João Baptista/ Fátima Domingues/ Celeste Fernandes/ Teresa Félix(…)

 

Coma! É leve e nutritivo (3º Escalão)

Uma das problemáticas que os produtores de frutas e vegetais enfrentam em Portugal é o escoamento de produtos de menor calibre ou com defeitos morfológicos, já que estes produtos não têm procura ou são rejeitados pelo consumidor. Atualmente, os consumidores estão cada vez mais exigentes com a qualidade dos alimentos, pelo que os produtos naturais e biológicos têm vindo a ganhar cada vez mais adeptos. Porém, o consumo em fresco destes alimentos restringe-se sobretudo à época de colheita e têm um tempo reduzido de conservação, tornando imperativo a criação de um subproduto com validade alargada que mantenha as propriedades químicas e sensoriais originais do alimento. O processo de liofilização tem como princípio a sublimação da água no fruto pela aplicação de baixas pressões, gerando um produto final com prazo de validade mais alargado, mantendo o valor de nutricional do alimento. 

 

Objetivos gerais: Produzir pós de frutas e vegetais autóctones da região da Beira Interior.

Coordenadora: Maria João Baptista/ Fátima Domingues 

 

Eco Kit Tira Nódoas (1º Escalão)

Lavar a roupa é uma tarefa indispensável para a qual contamos com numerosos produtos que prometem eliminar as manchas “difíceis”, em pouco tempo e sem esforço, deixando a roupa perfumada e mais branca, ou com as cores realçadas. No entanto, a realidade é bem diferente e, dependendo da origem da mancha e do tipo de tecido, em geral, elas são muito difíceis de remover por completo e quase sempre temos de recorrer a diferentes produtos de lavagem, tornando-se um processo dispendioso. Atualmente o mercado disponibiliza uma gama de detergentes e produtos para tirar manchas da roupa mas, frequentemente esses produtos além de caros, não são eficazes e contêm substâncias químicas que podem afetar a saúde do aplicador e o meio ambiente. 

 

Objetivos gerais: Produzir e disponibilizar um Kit com soluções para eliminar, de forma eficaz e económica, nódoas difíceis da roupa, minimizando os efeitos prejudiciais na saúde do aplicador e no ambiente, ao integrar produtos mais inócuos.

Coordenadora: Teresa Félix.

 

Fruta do Fundão! Ácida, ou não, tenha-a sempre à mão. (5º Escalão)

A localização na Serra da Gardunha e as características edafoclimáticas, aliadas ao regadio da Cova da Beira, proporcionam à região do Fundão excelentes condições para os setores agrícola e florestal. A agroindústria e floresta valem cerca de 100 milhões de euros por ano, no concelho do Fundão, representando cerca de 30% do Produto Interno Bruto (PIB) do concelho. A fruticultura corresponde à maior fatia, sobretudo com a cereja, mas também com o pêssego, maçã, frutos secos, frutos vermelhos… A preferência dos consumidores por produtos normalizados com determinadas características físicas e estéticas- maturação, formato, calibre, cor- gera um desperdício que, na UE, atinge 30% do que é produzido pelos agricultores, acabando no lixo uma parte significativa da produção não comercializada. 

 

Objetivos gerais: Acrescentar valor e mais-valias à produção do setor frutícola e florestal, rentabilizar atividades, diminuir o desperdício alimentar e inovar, produzindo vinagre de frutos.

Coordenadora: Anabela Santos.

 

Microssatélite para detetar incêndios florestais (5º Escalão)

A floresta desempenha um papel muito importante na vida de todos os seres vivos porque é uma fonte fundamental de oxigénio para respirarmos. Tem também uma grande importância socioeconómica porque possibilita a extração das matérias-primas necessárias a setores que representam fatias consideráveis na nossa economia e é um espaço de lazer. Os incêndios florestais tornaram-se, nas últimas décadas, um problema em diversas regiões do globo e, em especial, em Portugal. É preciso desenvolver sistemas de vigilância florestal e deteção precoce de incêndios florestais, com alertas quase imediatos que permitam intervenções com a maior brevidade possível em complemento dos tradicionais sistemas de vigilância florestal. 

 

Objetivos gerais: Construir um modelo funcional de um microssatélite em que todos os sistemas são integrados no volume de uma lata de refrigerante para detetar incêndios através de espectroscopia de infravermelho e transmitir as coordenadas GPS para a estação terrestre.

Coordenadora: Teresa Ramos.

 

PROGRAMAÇÃO NO 1º CICLO

Docente responsável: Helena Russo 

Resumo do projeto:         

Projeto destinado a implementar a programação através do “Scratch” e Blanc, com o intuito de desenvolver a capacidade de abstração, o raciocínio lógico, o pensamento crítico e a criatividade aos alunos do 1º ciclo. Atividade monitorizada por um técnico da Academia de código, com a duração de uma hora semanal durante o presente ano letivo, na componente de Oferta Complementar. Os professores titulares terão formação de programação (25 horas) com a intenção de futuramente implementar a programação no ensino. O proponente deste projeto é a Câmara Municipal do Fundão, a qual comparticipa a empresa Academia de Código para o desenvolvimento das atividades.

Objetivos gerais: Implementar no Agrupamento atividades no âmbito do pensamento computacional, através do Scratch como linguagem de programação.

 

À DESCOBERTA DAS 4 CIDADES

Veículo na promoção da igualdade de oportunidades, através das vivências e aprendizagens, dos alunos do 1º ciclo do ensino básico da cidade do Fundão, Marinha Grande, Montemor-o-Novo e Vila Real de Stº António.

É através da partilha de saberes, alicerçada num processo de DESCOBERTA, devidamente estruturado e acompanhado, que o Projeto “À Descoberta das 4 Cidades” se afirma como um ESPAÇO SINGULAR, no âmbito da geminação destas 4 cidades irmãs. ÀS VOLTAS COM A ÁGUA, à descoberta dos patrimónios da água das 4 cidades é, efetivamente, o ponto de partida para o desafio no triénio 2017/2020.

 

Objetivos gerais: Desenvolver nos alunos o gosto e a vontade de aprender, proporcionando-lhes novas fontes de saber, quer através de visitas a lugares com história e estórias, ou do contacto direto com outros agentes de saber/informantes, próximos da escola ou da família; estudar sistemas de captação de água e de rega, no passado e no presente, para o estimular da reflexão da comunidade educativa sobre as novas preocupações e necessidades relativas à água.

Coordenadora: Dília Costa 

Grupo de Cantares do AEF

Docente responsável: José Emílio.

 

Resumo do projeto:         

Grupo constituído maioritariamente por elementos do AEF (alunos e colaboradores) que têm em comum o gosto pela música e pela recuperação das tradições da região no que concerne ao património musical. O grupo divulga as suas recolhas e inéditos em festas do agrupamento bem como nas que são promovidas por entidades parceiras do AEF.

Objetivos gerais: Promover relações interpessoais entre os colaboradores; Promover a convivência e a partilha.  

Gabinete de Apoio Especializado à Surdez (GAES)

Docentes responsáveis: 

Natália Lobo Marques 

 

Resumo do projeto:   O Gabinete de Apoio Especializado à Surdez (GAES) surge como resposta às necessidades dos alunos com deficiência auditiva, com o objetivo de promover a sua autonomia e inclusão na escola e na sociedade. O Gabinete trabalha ainda, de forma direta, com os educadores, professores, pais e outros profissionais deste agrupamento, no sentido de dar encaminhamento aos alunos com deficiência auditiva na resolução das suas dificuldades. O GAES situa-se na sala “Espaço D”, na Escola Básica João Franco, e tem o seguinte horário de funcionamento: terça-feira das 15:35h às 16:20h.

Objetivos gerais: Apoiar os alunos, com deficiência auditiva, bem como as respetivas famílias e professores; Realizar campanhas de sensibilização e construir materiais específicos. .

 

ESPAÇO  D

Docente responsável:  Maria Fernanda Oliveira

 

Resumo do projeto:         

O Espaço D intervém junto de alunos com dificuldades de aprendizagem que tenham na sua base a diminuição/alteração de competências relacionadas com as áreas de intervenção da Terapia da Fala. Desta forma os alunos, depois de devidamente avaliados, são acompanhados de forma personalizada e individualizada (de acordo com as prioridades e a disponibilidade de horário). Este projeto colabora de forma direta com a equipa de educação especial, com a Unidade de Apoio à Multideficiência, com a equipa de referenciação da educação especial, com o SPO e com o Gabinete de Apoio Especializado à Surdez. Trabalha, também, em articulação com professores e famílias.

Objetivos gerais: Reeducar as dificuldades específicas de aprendizagem ao nível da leitura e escrita (Dislexia; Disgrafia; Dislalia; Disortografia e Discalculia).

A Música faz bem!

Docente responsável: Maria José Peixoto 

 

Resumo do projeto: 

A “música” pode ser definida como a arte ou a ciência de combinar sons harmoniosamente. FARIA (2001), descreve a música como “um importante fator na aprendizagem...”. A escola, enquanto espaço institucional para a transmissão de conhecimentos, deve promover a aproximação das crianças à música. Esta aproximação será feita pela aprendizagem da música em si mesma e por outro lado, através da audição da música, em ambiente de sala de aula.

Objetivos gerais: Proporcionar às crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico o Ensino da música e o desempenho de um instrumento musical (flauta)

 

   

Histórias Suculentas…

Docente responsável: Teresa Félix

 

Resumo do projeto:   Diariamente somos confrontados com a necessidade de inverter a degradação ambiental, tarefa da responsabilidade de cada um. Animais e plantas fazem parte do dia-a-dia das crianças através do contacto mais ou menos direto, em casa e no jardim de infância. Muitas vezes são personagens de livros, de desenhos animados e ainda de bonecos com que brincam. Seres vivos com cores e formas diversificadas, que sofrem mudanças com as condições ambientais, são um fascínio para as crianças, despertando-lhes naturalmente o interesse para a exploração de aspetos relacionados com o que as rodeia. A partir de histórias encontrar-se-ão pontos de partida para a exploração de conteúdos científicos relacionados com: o ar; a água; forças e movimento; luz e energia; objetos e materiais; seres vivos.

Objetivos gerais: Recriar histórias, construindo ambientes vivos em jardins em miniatura, que permitirão aos alunos prever, experimentar, observar e comparar o processo do crescimento e reprodução das plantas.

 

 

 

Engenheiras por um dia

 Apesar da evolução positiva das áreas profissionais associadas às engenharias e às tecnologias, quanto a remunerações e rendimentos, possibilidades de carreira e potencialidades de inovação e de progresso para a economia, constata-se uma evolução negativa preocupante da taxa de feminização dos cursos de engenharia e tecnologias.

O projeto visa prevenir o futuro agravamento das discrepâncias entre os sexos quanto a rendimentos, possibilidades de carreira e oportunidades de ascensão a cargos de tomada de decisão, em áreas centrais da economia. 

 

Objetivos gerais: Levar as raparigas a fazer uma escolha mais livre das áreas de estudo, bem como sensibilizar as escolas e os agentes educativos para a problemática da segregação ocupacional e da escassez de mulheres nos domínios das Tecnologias e Engenharias; Promover a igualdade de género; Contribuir para uma cidadania ativa e livre.

 

 Coordenadora: Teresa Correia

 

   

Guia para Pais ( Jovens de 12 aos17 anos)

 

Beira Serra